O HOMEM EM MARTE

NASA começa a acertar detalhes para chegada do homem a Marte

A contagem regressiva para a chegada do homem a Marte em 2030 já começou para a NASA. Agora é só uma questão de detalhes. Para isso, reuniram-se 175 cientistas, especialistas em várias disciplinas, no Instituto Lunar e Planetário, de Houston, para acertar todos os detalhes necessários para essa aventura inigualável. 

 

[VEJA TAMBÉM: NASA quer fazer o seu C-3PO para Marte]

 

Na reunião, foram discutidas todas as questões essenciais para uma eventual colonização da superfície marciana, depois da “amartizagem” (verbo com o qual iremos nos acostumar nos próximos anos), que acontecerá em pouco mais de uma década: por exemplo, como conseguir os recursos para a habitabilidade dos primeiros colonos, entre eles um mínimo de 100 toneladas de água. 

 


Para o primeiro desembarque, os tripulantes deverão fazer entre três a cinco “amartizagens”, com expedições de 500 dias marcianos de duração. Na reunião, foram estipulados também 50 pontos de aterrissagem, dentro dos 50º de latitude, norte ou sul, do equador marciano – nos próximos anos, os especialistas vão escolher dez desses pontos para realizar o pouso das naves.

 


Um dos maiores riscos dessas missões, segundo o inspetor geral da NASA, Paul K. Martin, é a saúde dos astronautas, que estão suscetíveis à “possibilidade de desenvolver tumores cancerígenos e outras doenças degenerativas, perda da densidade dos ossos e estiramento dos músculos, por causa da alteração da gravidade, além de mudanças psicológicas profundas, causadas por uma viagem longa e cansativa”. 

Além dessa e de outras críticas internas, o discurso oficial da NASA é otimista: o diretor de ciência planetária, James Green, afirmou com certeza que “os humanos acabarão pisando em Marte”.

 


Fonte: Clarín
Imagem: NikoNomad/Shutterstock.com